26 de março de 2012

Se eu fosse...

... ingénua... acreditava que "that thing" :
- Não saiba que a taxa de desemprego portuguesa está acima dos 14,8% porque esta crise já começou há muito tempo e quando o subsídio de desemprego acaba... não quer dizer que arranjaram emprego.
- Não saiba que as farmácias estejam com menos clientes... o que... não quer dizer que, de repente, ficassem todos mais saudáveis... mesmo descontando os que têm morrido, "estranhamente" em maior percentagem.

É fácil fazer discursos bonitos... mas fica-me uma dúvida culinária... a esperança faz-se frita, cozida, estufada ou grelhadinha (como as postas de vitela)?

Até parece que estou a ouvir a resposta... blá blá blá... temos o problema da economia e sem economia... blá blá blá... ora então, diga lá ao seu Álvaro que comece a distribuir a esperança... talvez... em forma de poção... e às colheradas... talvez, assim, consiga matar dois coelhos de uma cajadada só.
Pode aprender no youtube ;)

21 comentários:

  1. Não deseperes, que Cavaco Silva lamenta - ao fim de quatro dias - que fotojornalistas tenham sido atingidos, rrssss

    Isto não é um país, é uma imitação chinesa!!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Isa
    Estou naquela fase em que não consigo encontrar palavras decentes para comentar. Só me apecece chamar a uma certa gentalha: f***** da ****!
    Abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  3. Olá, Isa!

    Ainda recordo, não muito ... o interior daquela assembleia nacional salazarista e do caetano: bafienta,cheiro a coisa velha, rasteira e subserviente - com constantes vivas ao chefe.A política de hoje não é muito diferente: tudo dejá vu, hipócrita e enjoativo - e eu não tenho paciência e mudo; não aguento!
    Boa semana.
    Beijinhos.
    Vitor

    ResponderEliminar
  4. São

    Deixa lá que a imitação chinesa passará, brevemente, a ser marca autêntica...
    O maior porto grego está entregue por muitos anos à China, sem sindicatos, horários e ordenados reduzidos a menos de dois terços...
    por cá, as compras são mais para o definitivo...
    Parece que o Gaspar também hoje foi para Angola com a Valise cheia, com o resto do que há para privatizar...
    Qualquer dia, algo que seja verdadeiramente português... só se forem... os escravos :D

    Bjos

    ResponderEliminar
  5. As entradas urgentes nos hospitais reduziram em 30%, a taxa de mortalidade subiu 23% em comparação com o periodo homologo do ano passado. Tendo em vista que este inverno nem está a ser muito rigoroso, algo vai mal na suade nacional... é um facto.

    ResponderEliminar
  6. folha seca

    Ora o Gaspar disse que "estamos quase a chegar ao meio da ponte" quer dizer que a tragédia não vai nem a meio... quero ver que palavras vai usar quando chegarmos ao fim da ponte :-*

    Bjos

    ResponderEliminar
  7. vitorchuvashortstories

    Pois aí é que está o problema, nós já vimos muita coisa e quais os resultados... o que torna tudo mais insuportável.

    Bjos

    ResponderEliminar
  8. polittikus

    Na minha zona há mais de 4 farmácias, muito perto umas das outras e era preciso tirar senha e esperar... agora nem é preciso tirar senha... somos imediatamente atendidos, há sempre mais pessoas a atender do que clientes... algo está muito mal.

    Bjos

    ResponderEliminar
  9. Uma vergonha...
    Dos escravos falo no "são"

    Fica bem

    ResponderEliminar
  10. É ingénua, é!

    Ainda acredita que haja coelhos que morram à cajadada...

    ResponderEliminar
  11. Parecem estar longe da realidade... a viver no mundo da fantasia, a brincar aos políticos.

    ResponderEliminar
  12. Rogério Pereira

    lol ...foi uma maneira de dizer que, pelo caminho que ele vai, só com uma poção mágica ele fará crescer a economia e, fazer esquecer aos escravos... que são escravos :D o vídeo seria a metáfora :D

    Bjos

    ResponderEliminar
  13. Rosa Carioca

    ...guarda algumas "neuras" para depois... o Gaspar disse que "estamos a chegar ao meio da ponte"... para mim, quer dizer que... ainda vai piorar mais.

    Bjos

    ResponderEliminar
  14. Catarina

    Eles vivem num Portugal paralelo onde as dificuldades se enfrentam de barriguinha cheia e a palavra sacrifício só existe no dicionário. Para quem viveu sempre sobre uma almofadinha, mesmo quando mandou empresas para a falência e teve sempre um "padrinho" no Partido... como pode ter empatia pelo povo que governa?
    Neste tempo que atravessamos, seria quase essencial que eles soubessem, mesmo, do que estão a falar.

    Bjos

    ResponderEliminar
  15. Isa,
    A esperança dever vir misturada na caldeirada de ervas...Gostei da ideia da imitação chinesa de país, do primeiro comentário...É isso que somos, e ainda vamos no meio da ponte.
    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Pois, eu também acreditei na Fada Madrinha e tramei-me

    ResponderEliminar
  17. Tio do Algarve

    Nem quero imaginar o fim da ponte... se calhar é mesmo verdade que o mapa da Europa acabará por mudar e nessa previsão... não vi Portugal.

    Bjos

    ResponderEliminar
  18. Carlos Barbosa de Oliveira

    Já somos crescidinhos para não acreditarmos em Fadas Madrinhas... só em Padrinhos... de certos meninos que andam por aí a fazer maldades :D

    ResponderEliminar
  19. Bom dia Isa:

    Esperança de uma vida mais longa e saudável no estado actual em que este país se encontra só poderá acontecer na casa dos nababos que à custa dos explorados engordam até só com o próprio ar que respiram porque, aqueles em que até o ar que respiram até doentio não tem esse direito que está descrito na constituição portuguesa.

    Quando se fala em direitos descritos na constituição portuguesa, acho que se está a cometer um atentado muito grande aquilo que se chama democracia porque, esta palavra só existe na mente das pessoas porque até isso é um valor que foi roubado a todos nós que na pele, sofremos as amarguras nojentas de pessoas sem excrúpulos nem qualidade humana.

    Verdade verdadinha Isa, a diferença é bem grande de à tempos atrás, as farmácias que antes estavam cheias agora pode-se ver a diferença, pois é chegar lá e por vezes vê-se as moscas no ar a voar porque muito do povo que nem sequer tem dinheiro para fazer face ao que come poderá ir a farmácia comprar aquilo que o poderá fazer ter mais tempo de esperança de vida.

    Ouve-se, lê-se e vê-se tanta chafurdice saída das bocas e dos actos dos novos mandantes que chegam a dar vómitos até nos sonhos, sim porque infelizmente até em sonhos esta escumalha nos aparece desgastando os neurónios que nunca deixam carregar a bateria para enfrentar a carga diária a que ela está sujeita.

    Discursos hipócritas e palavrinhas mansas nunca deram de comer nem de beber a ninguém, sorrisos sarcásticos e palminhas nas costas também nunca foram o remédio para a cura de qualquer doença onde o íntimo dessas acções são apenas e só a conquista do poder para aos poucos ir matando aqueles que não se podem defender daquilo que injustamente nos impõem.

    DÁ VÓMITOS TANTA HIPOCRISIA:

    Ora aí está um título muito a preceito perante aquilo que nos impõem, onde o acrescento verbal poderá também dizer-se:

    O NOJO PASSA PELA MENTE DAQUELES QUE NOS QUEREM FAZER DE PARVOS PORQUE ISSO, JÁ PASSOU DE MODA.

    Bjos, saúde e felicidades.

    ResponderEliminar
  20. Aqui-Ali-Acolá

    A Europa está toda debaixo de um ataque às populações e hoje ouvi um jovem espanhol resumir tudo muito bem... Eles só querem despedir facilmente os nossos pais para depois nos porem com contratos precários e mal pagos... ele disse tudo :(

    Bjos

    ResponderEliminar