20 de abril de 2013

Tocando em assuntos melindrosos... basta falar neles para suscitar uma "berraria" ;)

Tenho o miúdo no 6º Ano de escolaridade e aqui, sei alguma coisa do que se passa e, claro, falar de cortes na educação temos, imediatamente, o descontentamento de pais, professores, sindicatos... mas como estou sempre a apelar à lógica e aos consensos (curioso no dia 18 ter aqui falado em consensos e no dia 19, ter sido aquela discussão pegada na A.R.) vejamos, apesar de tudo, onde se poderia poupar, para não cortar onde não se deve, e não se acabe por prejudicar os alunos ou, por falta de dinheiro, ter de atestar mais um bocadinho as salas de aula. Na verdade, o grande problema é que ninguém parece querer fazer o mínimo esforço para obter um mínimo de danos.
Vejo pais que até estão desempregados, mas continuam a querer uma escola a tempo inteiro, do Tipo "Armazém" e, quanto a exigir mais qualidade em vez de quantidade, nem sequer faz parte das suas preocupações.
Depois temos os professores,  um grupo a que tive o previlégio de pertencer, por apenas meia década e há muitos anos atrás, numa altura em que o meu Contrato de Trabalho podia começar em Set.ou Out. e, na pior das hipóteses terminar em Junho, pois poderia ter a sorte de ter trabalho de exames em Julho, claro que era um sufoco ficar 2 ou 3 meses sem receber ordenado, senti as dificuldades, e o esforço necessário para conseguir conjugar a vida profissional com a privada, e aquela ansiedade de nunca saber em que escola iria ser colocada quando,  para agravar a situação, quando comecei, tinha uma filha de meses.

Tenho ouvido coisas que não gosto, a 1ª foi há pouco tempo, na televisão, uma professora, numa entrevista, dizia que a maior riqueza de uma escola eram os professores, emendando, quase imediatamente, para alunos, mas, para mim, já nem me interessava ouvir o resto, felizmente, desta cepa há poucas (mas nem que seja uma, já é demais).
Noutra ocasião, no início do ano lectivo, numa entrega dos Diplomas do Quadro Meritório, em que as 1ªs palavras do Director foram: " Estamos muito satisfeitos por ter conseguido ficar com todos os nossos professores..." aqui, me desculpem mas, naquela hora, no meu papel de Encarregada de Educação, não era o que esperava ouvir, mais a mais, sabendo da incompetência de alguns desses professores que servem apenas para destruir a imagem e o trabalho daqueles que se esforçam para além da sua obrigação como, por exemplo, da actual professora de Português do meu garoto que só posso classificar de excelente, pois está a tentar dar a matéria de dois anos, dano causado pela incompetência de um desses maus professores (que continua presentemente na escola) porque, este ano, em que vai haver exames, tive a sorte do meu garoto ter uma professora competente e que realmente se preocupa com os alunos (isto até parece um jogo de sorte ou azar) mas só se pode agradecer a quem tem dado aulas extra para tentar endireitar o mau trabalho do colega, podendo, simplesmente, ter optado por cumprir apenas o seu horário.
Agora fica a curiosidade sobre o que fazia o professor do ano anterior e como ocupava as aulas... bom, se me contassem, sem o meu miúdo ter passado por isso, acho que nem ia acreditar.(uma coisa repetida há vários anos e do conhecimento do Director) mas isso pode ficar para outro post.
Este ano, não foi tudo sorte, há outro professor que não fazia falta nenhuma, mas é coisa que pode ficar para depois.
Continuando a falar sobre sorte ou azar, o meu miúdo também teve sorte (a dobrar) quando no 5º e no 6º ano apanhou o mesmo Professor de Matemática que ensina a sério, porque eu vou acompanhando o que é dado e dou graças por não ter de explicar nada e ele perceber tudo nas aulas, tirando todas as dúvidas com o professor porque, Matemática, não é o meu forte, mas voltando a este heroi do ensino, que nunca falta, nem quando há greve de transportes, e aqui admiro-o, pois sem carro e a viver longe, tem mesmo "amor à camisola" e apesar da matéria de ambos os anos ser longa, nesta altura do ano, a matéria está toda dada e estão apenas recapitulando a mais difícil e a treinarem para os exames.

Esta convivência nas escolas, de trigo e joio, há muito tempo que deveria ser combatida internamente, todos sabem perfeitamente o que se passa, e aqui algo tem mesmo de ser feito. É uma grande injustiça um incompetente andar a roubar o lugar de um professor competente.

Falemos dos tais cortes do Min. Crato (suponho que cheio de boas intenções, mas talvez não imaginando o Inferno onde se iria meter, os cortes do Gaspar, os Professores, pais e outras coisas mais ;)) 
Havia uma AE semanal que seria para passar a ser por opção dos Enc. de Educação (pelo menos foi o que ouvi do Ministro) ora, como Enc.de Educação "vi-me grega" para conseguir que ele fosse dispensado,  mas como o meu garoto esteve sempre no Quadro Meritório com boas notas,  não  tiveram desculpa para ele ser obrigado a estar na aula de Estudo Acompanhado, ao contrário da grande maioria dos outros pais que levou uma nega mas, o mais interessante, em vez de um AE, no horário, passou a haver Cinco AE/s semanais, claro que sem abdicar do que o Crato não cortou para os alunos com dificuldades (Apoios a Matemática, Português e Inglês).
Quanto a F.C.- Formação Cívica que era para acabar, passou a haver F.C-Formação para a Cidadania
Se isto não é tentar deixar andar para ficar tudo na mesma, não sei o que será.
Há muito tempo, que o dinheiro devia ter sido gasto com parcimónia porque sai do bolso dos contribuintes, e talvez nem tivéssemos caído nesta situação dos apertos e da perda da nossa soberania .
Quanto à EMR-Educação Moral e Religiosa que Crato não cortou, francamente, na minha opinião, ser apenas opção não me chega, especialmente, num Estado que se diz Laico. No tempo em que eu era pequenina, a minha mãe mandava-me para a Catequese da igreja do bairro e, na minha opinião, cada um podia escolher, sem entrar no bolso dos contribuintes, os católicos iam à igreja e os muçulmanos à mesquita... porque o dinheiro dos ateus também está a ficar muito curto.

As disciplinas ditas de opção não resolvem nada, elas são estrategicamente colocadas, para que muitos pais as aceitem, pois, na maioia das vezes, sem assistir a elas, ficam apenas buracos de 45 minutos no horário, um truquezito (na minha opinião sujo) para arranjar mais uns lugarzitos extras mas que podem equivaler a mais um aumento de impostos. Portanto, senhor Ministro, se não arranjar maneira das disciplinas obrigatórias serem dadas antes das optativas... há muita imaginação para lhe gastar dinheiro ao Orçamento ;)
Quanto ao que se faz nos A.E/s se pensam que Apoio Escolar é para fazer os trabalhos de casa ou tirar dúvidas... bom... isso é outra ideia errada e eu teria muito paraa escrever, sobre o AE que ele frequentou no 5º e os 5 AE/s do 6º,  até receber o amen de ficar isento dessa obrigação... também eu não acreditaria se me contassem, mas também é assunto que pode ficar para depois.
Quanto aos Apoios de Matemática, Português e Inglês não sei o que se passa porque, felizmente, o meu nunca precisou, mas, ao que me parece são dados pelos professores das respectivas disciplinas e aí presumo que sejam boas, pois, como já referi, a Professora de Português, o de Matemática e a de Inglês (deste ano) não poderiam ser melhores. Fiz referência à professora de Inglês deste ano porque a do ano passado... bom... outra que o meu garoto bem tinha dispensado conhecer... como se pode ser professora e saber menos que um aluno de 11 anos (especialmente nos plurais irregulares) Claro que isto de emendar a professora saíu-lhe caro, dois testes de 100% e ela deu-lhe um 4, claro que eu não fiquei sentadinha à espera do 2º, fiz o percurso Director de Turma / Director da Escola e não foi preciso acabar no Ministério da Educação, porque quando "a bola passa para o meu campo, eu não fico a preguiçar ao sol" ;)

No último horário, o nº4, aquele que apenas saiu da minha cabeça, "exterminei" a aula de Educação Física no Exterior, só não se realiza quando chove a potes, mas na minha opinião e na de muitos outros pais, tem servido para fazer gastar muito dinheiro ao Ministério da Saúde, aqui, mais uma vez até tenho tido sorte, entre valentes constipações, dores de garganta e um braço esfolado, quase até ao osso, que teve de andar, quase 15 dias a mudar o penso no Centro de Saúde e umas quantas urgências quando a febre não cedia até ao 3º dia, já houve pior, braços e pernas partidas, porque não havendo lugar no ginásio, isto de invernos em que vão agasalhados, despirem-se para andar ao frio e sobre um escorregadio cimento molhado, em calção e T-shirt ou à torreira do sol, com alguns professores que nem boné deixam usar... neste caso, falo mesmo em exterminar porque estou danada, o meu só tem adoecido e faltado por doença, por causa destes malvados 45 minutos contraditórios, a intensão é para ser mais saudável ou será para ficar doente?
Já me esquecia... quem não se lembra das reclamações sobre aquele corte do Crato em que Educação Visual passava a ter um só professor? Pois podiam juntar ETL e EDV com 2 professores, porque para fazerem trabalhos repetidos como capas de cartolina e postais de Natal, eu sempre tinha poupado uns euros, nos trabalhos que são para fazer a dobrar ;) e no Orçamento, uma sala que poderia ser usada (há sempre a queixa de falta de salas) e uns quantos watts de electricidade multiplicadas por muitas escolas...se temos de poupar... poupemos em vez de cortar.
Agora aqui fica:
1- O Horário que consta no Cartão Escolar
2- O Horário que ele Realmente tem
3- O Horário que talvez  estivesse na ideia do M.Crato, mas houve um tornear por parte da escola.
4- O horário que não prejudicaria muito os alunos e, quem sabe, poupando o suficiente, para que a maioria dos professores entrasse, definitivamente, nos quadros e esta instabilidade acabasse mais depressa. Claro que não se pode agradar a toda a gente, mas não levar as coisas a sério, também não resolve nada.
Na minha modesta opinião, dividindo os alunos em 2 Turnos, as funcinárias controlavam melhor os recreios, as rasteiradas, cabeçadas, empurrões e outro tipo de violência ficava mais visível porque, como está agora, é, apenas, um salve-se quem puder,  talvez por isso, o meu garoto se recuse a almoçar na escola e prefira andar para cima e para baixo de pasta às costas, exausto, em vez de ficar enclausurado no meio do caos. Se repararem no horário dele, o nº2, acaba por mal ter tempo para estudar, fazer os trabalhos de casa e Brincar porque está na idade de também fazer o que lhe apetece, um verdadeiro desperdício de tempo nas idas e vindas da escola... bom... talvez, assim, acabem por conseguir tirá-lo do quadro Meritório e outros como ele, passarem a precisar de mais uns Apoiozitos para que, à medida que a taxa de natalidade desce, o número de professores aumente porque os contribuintes adoram aumento de impostos ;)
(clicar mais do que uma vez para ampliar)

6 comentários:

  1. Durante 38 anos fui professora, aliás sou professora, quem o foi jamais deixa de o ser!
    Como em todas as profissões há trigo e joio, como em todos os locais de trabalho que envolvem tantos recursos humanos e materiais há problemas nas escolas...
    Por isso compreendo e aceito todas as tuas razões e desabafos!
    Ainda bem que és uma Encarregada de Educação atenta e capaz de acompanhador o teu miúdo!
    Assim fossem todos!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que os Encarregados de Educação também têm que fazer a sua parte.
      Quando algo corre muito mal, geralmente, foi a soma de muitas culpas, só que é muito mais fácil, o deixar andar, arranjar um bode expiatório, ou "lavar as mãos como Pilatos"... porque foi assim que chegámos à mãe de todas as crises e, se calhar, exactamente pelas mesmas razões não vamos sair da crise económica com um mínimo de sofrimento mas com um máxido de dor.
      Já me visitas há muito tempo, para saberes que nunca votaria num governo destes, só que também sei que, neste momento, qualquer um que lá estivesse, teria de fazer quase o mesmo, aliás, andámos décadas a construir esta desgraça, era mais do que previsível e, por sinal, pode ainda ficar pior.
      Mas... continuarem aquelas "alminhas casmurras" na A.R., a fazer exactamente o mesmo que faziam antes... arranjar bodes expiatórios, mandarem as culpas uns para os outros ou tentarem lavar as mãos como Pilatos... fico pior que ursa...

      Bjos

      Eliminar
  2. Tenho um nome para isso: DESORGANIZAÇÃO.
    Arranjo outro: MÁ VONTADE.

    Ia por aí fora mas ... tenho o horário apertado ;)

    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...não esquecer os interesses, há quem passe a vida a puxar a brasazinha à sua sardinha ;)

      Agora imagine um barco, daqueles com vários remadores, cada um a remar à sua maneira porque, lhe dá mais jeito ou é canhoto, ou... até tenha resolvido, no dia anterior, levar o remo para casa ;) ainda havia de haver alguém que garantia que iria ser o 1º a chegar à meta ;)

      Bjos

      Eliminar
  3. Olá, Isa!

    Bem vinda!

    Já vi que chega com grande fôlego, a par de muita vontade de desabafar. O que nos tempos de hoje é coisa fácil, já que há tanto por onde escolher...
    Aonde este país chegou, não será grande motivo para surpresa.Era só uma questão de tempo até aqui chegarmos com o Estado que temos tido, e que foi apodrecendo em grande parte - e onde a Educação é apenas um dos casos.

    O pior,agora, citando um velho ditado,é que "Uns comeram os figos, a outros rebenta-lhes a boca..."

    Bom fim de semana; beijinhos.
    Vitor

    ResponderEliminar
  4. Nem mais... mas... ainda há quem continue a insistir que pode continuar a comer figos ;)

    Bjos

    ResponderEliminar