9 de maio de 2012

Com papas e bolos... ;)

Quando há uns anos a minha filha se mudou para os EUA é que eu tive a noção de que os portugueses nunca ganharam 14 meses de ordenado e porquê? porque há muitas maneiras de enganar tolos... Suponho que não será só lá, e há países que pagam o ordenado de duas em duas semanas, ora aqui é que está o gato.
Mas não há nada como fazer as contas...
Pondo um número redondo como 1000€... 14x1000 darão 14.000 € anuais em Portugal
Como o ano tem 52 semanas, se o ordenado fosse pago cada duas semanas, teríamos 500€x26 = 13.000€ ora a diferença é apenas de um ordenado... não dois.

Quem vai ficar sem o 13º e o 14º mês perde muito mais que dois meses, passa a trabalhar um mês de borla.
12 meses x 1000€ =12.000€ anuais que dá a ideia que ganha 250€ por semana
Mas 250€ x 52 semanas= 13.000€ e aqui... 4 semanas são de borla... juntando o IRS  e tirando mais uns feriados...  e criando o tal banco de horas ou mais uma horita de trabalho extra, em nome da crise... diria que estão a dar-nos muitas papas e bolos... completamente envenenados.
Mas voltando aos EUA... dependendo da Empresa e do Contrato também há tempo de férias pago e mesmo que não paguem... há sempre a possibilidade de prémios anuais... por aqui, é que se fala muito que estivemos a viver acima das nossas possibilidades e andámos a ganhar aos 14 ordenados anuais.
Se olharmos para o ordenado mínimo nacional... isto tem sido criar milionários todos os anos... fazendo as contas aos miseráveis 485€ mensais, ao dia e à hora... até me admira não sermos um país de palacetes ;)



18 comentários:

  1. Em alguns países não há subsídios. Nem de férias nem de Natal.

    Ao vencimento de cada um é adicionada mensalmente uma determinada importância que, feitas as contas, perfaz no final de cada ano, exactamente o que receberiam se os tais subsídios existissem mas, naturalmente, com vencimentos mais pequenos.

    Pior? Melhor?
    Digamos que é diferente.
    Tão só diferente.

    ResponderEliminar
  2. mas o pior é que ese dinheiro nunca mais o veremos seja sob que modelo for!!

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Observador

    Mas tirando o 13º e o 14º... é mesmo roubar, especialmente num país onde os ordenados para a grande maioria dos portugueses anda à volta dos 700€... claro que para quem tenha 50.000€ mensais, como uns nababos que vivem por aí, são pormenores sem importãncia :-*

    Bjos

    ResponderEliminar
  4. São

    ... e com o país neste estado... era capaz de apostar que ainda vão cortar mais umas fatiazinhas das pensões e nos ordenados.
    Se nada na Europa se alterar, foi precisamente o que aconteceu na Grécia... devagar devagarinho vão tirando... fatia a fatia...

    Bjos

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Tenho ouvido gente
    inteligente
    dizer em todo o lado
    que nosso caso é diferente
    e cada caso é um caso

    Isto para nos fazer "baixar a bola"
    e resignarmos a "tola"

    Não se compare com ninguém
    Sobretudo se viverem bem

    (claro que, de certa maneira,
    isto é rima caseira...
    e os EUA não são exemplo exemplar...)

    ResponderEliminar
  7. Olá, Isa!

    Para esta gente que nos governa e se tem governado, a falta de vergonha não tem limite, e já não sei mesmo se ainda enganará alguém.
    Tudo lhe serve para tentar tapar o sol como uma peneira, a esta casta de privilegiados.
    Há uma coisa que esta tralha ordinária e batoteira nunca quis explicar ou justificar, e que quanto a mim é em larga medida a razão porque aqui chegámos.
    O orçamento de estado foi sempre uma farsa, pura batota, onde o défice sempre foi escamoteado de modo a que eles pudessem continuar a encher-se, como se tudo estivesse bem...E se não viesse a troika exigir ver tudo, ainda continuaríamos sem saber a miserável situação a que chegámos; já pensou...?

    Beijinhos, e já temos sol de novo...

    Vitor

    ResponderEliminar
  8. Estes tipos estudaram, eles sabem o que devem faser, eles podem, eles são extras...
    Nós no entanto continuamos a colaburar, vamos ás urnas de quatro em quatro anos, como as beatas vão para o convento, pouco convencidos (as), mas só porque alguém nos meteu na cabeça que temos que nos portar bem lá alinhamos e esses fantasmas que elegemos, eleição atrás de eleição lá continuam a brincar aos governos e saem sempre governados...

    ResponderEliminar
  9. Prefiro ser paga de duas em duas semanas do que ao mês. Os meses são muiiiiiito longos!
    Abraço ; )

    ResponderEliminar
  10. Rogério Pereira

    Por acaso eu tinha uma ideia muito errada dos EUA, porque temos tendência de só ver o poder central e esquecer que são Estados, com grandes diferenças, seja na maneira de pensar das pessoas, como até nas leis... quase como olhar a Europa e só ver a Merkel ;)

    Bjos

    ResponderEliminar
  11. vitorchuvashortstories

    ... resumindo e concluindo... eles arranjam sempre a melhor maneira de se govervarem a eles próprios, no presente e no futuro, mas estão-se borrifando em governar o país e, muito importante... são especialistas em nos enfiar barretes até aos tornozelos ;)

    Bjos

    ResponderEliminar
  12. Campista selvagem

    Temos que saber utilizar aquilo que temos... eu voto sempre no que tiver menos hipóteses de ganhar... não gosto de maiorias... ficam demasiado livres para nos comerem as papas na cabeça... eles que aprendam a governar em conjunto... e era preciso mais rotatividade, senão qual é a vantagem de ter Democracia? Se é para lá estarem, de pedra e cal, qual é a diferença para uma Ditadura ;)

    Bjos

    ResponderEliminar
  13. Catarina

    E assim tens a certeza que ganhas as 52 semanas... com este golpe de tirarem o 13º e o 14ºmês acabaram por roubar 4 semanas :-*

    Bjos

    ResponderEliminar
  14. Claro que somos roubados. No IVA também,para isso bastar ver como é no UK...

    ResponderEliminar
  15. Lembrei-me agora que há tempos prometi aos leitores do CR explicar a razão de Marcelo Caetano ter introduzido o 13º mês.
    A prática de pagar à semana é originária dos países anglo-saxónicos, mas já se aplica em muitos países europeus para um grande número de sectores de actividade.

    ResponderEliminar
  16. Maria do Resgate Coelho Portas de Sousa e Suplício :D

    Nós somos um povo roubado de todas as formas possíveis e imaginárias... e quando, por exemplo, se fala tão mal da América, há lá coisas boas e más como em todo o lado, eles podem cobrar imposto em tudo mas nunca na comida... aqui basta comer meia dúzia de feijões que nem aí conseguimos escapar a ser contribuintes... até um feijão contribui para o Audi do Mota :D

    Bjos

    ResponderEliminar
  17. Carlos Barbosa de Oliveira

    Considero o pagamento mais justo o de duas em duas semanas.

    Bjos

    ResponderEliminar
  18. Isa,
    E convém não esquecer a grande oportunidade que é ficar sem emprego...
    Bjs

    ResponderEliminar